quarta-feira, 5 de agosto de 2009

gosto muito dos nossos 23 segundos

video

gosto muito de uma pessoa que gosta muito desta música.
resume na perfeição a nossa relação: a relação que tenho com essa pessoa (de quem gosto muito e que gosta muito desta música).
23 segundos de magia e depois tudo morre.
23 segundos de qualquer coisa, que passados 23 segundos não são coisa alguma.
o mundo gira de igual modo tanto da minha, como da janela dessa pessoa.
mas quando vejo o mundo da janela do seu quarto, este parece-me girar mais devagar: não demora 23 segundos, demora 23 horas que eu gostava que fossem um dia inteiro.

domingo, 26 de julho de 2009

descer às profundezas do esparguete


decidi não começar as férias com decadência, depressão e fantasmas do passado (para isso, já basto eu!).
fiz uma pausa temporária no "as velas ardem até ao fim" e despachei em menos de 03 dias, cerca de 500 páginas do "comer, orar e amar" (da norte-americana elizabeth gilbert).
sim, sim: eu sei que é mau, eu sei que não é intelectualmente estimulante, eu sei que não nos obriga a pensar ou a questionar; pior! é considerado obrigatório pela oprah, esse vulto iluminado da comunicação e caridade mundial...
...contudo, era mesmo disso que eu estava a precisar!
precisava de pura e absoluta diarreia mental e isotérica!
acima de tudo, precisava de um final feliz neste momento da minha vida.
e assim foi: comi pizza em roma, meditei na índia e "enrolei-me" com um brasileiro musculado na indonésia.
assim foi e foi bem bom: que nem só de deleuze vive uma mulher!
engordei uns quilos imaginários, entoei maravilhosos mantras, tive orgasmos bestiais e quando regressei à terra tudo me parecia mais tolerante.
amanhã, acordo bem cedo e volto a descer às minhas profundezas enquanto as velas ardem até se extinguirem.

terça-feira, 21 de julho de 2009

please do not disturb

preciso de férias.
levo comigo "as velas ardem até ao fim" (sándor márai),
um ipod com mais de 15GB de música e uma toalha de praia.
os telemóveis ficam em casa porque também eles estão a precisar de descanso.
a inbox que se entupa, os emails que fiquem sem resposta,
o ponto que se pique sozinho e as urgências que aguentem 15 dias.
preciso de férias do mundo e das coisas.
por isso: "coisas" esqueçam-se de mim!

segunda-feira, 20 de julho de 2009

onde estou?

alguém desapareceu e essa pessoa sou eu.
o morrissey disse:
"in my life
why do i give valuable time
to people who don't care if i live or die?"
então, onde estou?